Matriz de risco: o que é, quais benefícios e como usá-la na prática?

Matriz de risco: o que é, quais benefícios e como usá-la na prática?

Considerada uma importante ferramenta para a tomada de decisões, a matriz de risco possibilita identificar os riscos inerentes às atividades desenvolvidas por diferentes tipos de empresas. Com ela, é possível fazer um mapeamento preciso dos riscos e criar medidas de prevenção para lidar com vários eventos indesejados.

Simples e de fácil compreensão, a ferramenta tem sido adotada por gestores que desejam se antecipar aos riscos, impedindo que eles causam impactos negativos ao negócio. Na área de medicina e segurança do trabalho, ela ajuda a garantir o bem-estar, a saúde e a segurança dos trabalhadores.

Confira no artigo a seguir todo o potencial dessa ferramenta e como aplicá-la em sua empresa!

O que é matriz de risco?

Como o próprio nome sugere, a matriz de risco é uma ferramenta de análise e gerenciamento de riscos, baseada em probabilidades e consequências. Trata-se, na verdade, de uma tabela que possui duas dimensões (eixos X e Y): probabilidade acontecer um evento indesejado e quais serão os impactos que ele vai proporcionar ao negócio.

Na prática, a ferramenta possibilita visualizar e classificar os riscos do ambiente de trabalho de forma ágil e precisa. Até mesmo porque se trata de um elemento gráfico que por si só facilita a intepretação dos dados, como a gravidade do risco e as ações prioritárias de controle.

Como funciona?

A matriz de risco é baseada em dois parâmetros, probabilidade e impactos. Após distribuí-los nos eixos X e Y da tabela, é possível conhecer quais são os acontecimentos mais ou menos críticos ao negócio e quais merecem prioridade na tomada de decisões para enfrentamento do problema. A lógica é a seguinte: quanto maior o impacto gerado pelo evento, mais rapidamente ele deve ser controlado.

Quanto aos riscos, eles devem ser medidos em probabilidades de ocorrência, que podem assumir níveis baixos, moderados, altos e muito altos, por exemplo. O mesmo acontece com os impactos, mas nesse caso, eles podem ser relacionados a prejuízos financeiros, perda de clientes, acidentes de trabalho entre vários outros danos ao negócio.

Probabilidade X Impacto

Para definir os níveis de criticidade e facilitar a visualização deles na tabela, são definidas cores diferentes. Embora não sejam uma regra, geralmente utiliza-se as cores cinza ou branco para riscos muito baixos e baixos, verde para riscos moderados, amarelo para riscos elevados ou altos e vermelho para riscos muito altos ou extremos.

Como criar uma matriz de risco?

De baixo custo, fácil implementação e gerenciamento, a matriz de risco pode ser adaptada para diferentes necessidades. Para isso, no entanto, é preciso executar os passos a seguir.

1. Defina onde a matriz será utilizada

O primeiro passo para implementar a ferramenta em sua empresa é saber em qual área ela será utilizada. Conforme pontuamos anteriormente, a matriz de risco é um instrumento versátil e pode ser aplicado em diferentes setores da empresa, como vendas, segurança do trabalho, produção entre outros.

2. Faça uma lista com os riscos identificados no setor

Os riscos podem variar de acordo com cada setor, mas os exemplos a seguir ajudam a compreender do que se tratam:

3. Avalie a incidência dos riscos

O próximo passo para montar a sua matriz de risco é analisar as chances de os eventos indesejados acontecerem. Probabilidades altas representam 60% ou mais de ocorrências, enquanto as médias assumem um intervalo de 10% a 50%. Já as probabilidades baixas, representam eventos pouco prováveis e as muito baixas, eventos improváveis de acontecer.

4. Estabeleça níveis de impacto

Na sequência, você deve estabelecer quais níveis de impacto cada risco oferece ao negócio. 

Para facilitar a compreensão e a tomada de decisões, não se esqueça de descrever resumidamente os critérios dos impactos. Um impacto de nível baixo, por exemplo, pode ser descrito como um evento que vai causar consequências negativas à empresa, mas que pode ser revertida a curto ou médio prazos.

Não há regras para definir os níveis de impacto, mas as nomenclaturas mais comuns são:

  • Muito baixo ou baixíssimo;
  • Baixo
  • Médio ou moderado;
  • Alto ou elevado;
  • Muito alto ou extremo.

Depois de definir os níveis de impacto e descrevê-los, atribua uma nota para cada critério. É justamente essa pontuação que definirá quais riscos devem receber atenção prioritária em sua empresa.

5. Elabore medidas preventivas

Chegamos à etapa final da nossa matriz de risco e principal objetivo dela: a elaboração de ações preventivas para evitar que os riscos aconteçam ou para controlá-los, caso a ocorrência deles seja inevitável.

Importância da matriz de risco para as empresas

  • Identificação de ameaças e elaboração de respostas para mitigar os impactos negativos dos eventos indesejados;
  • Na área de medicina e segurança do trabalho, possibilita um mapeamento e classificação eficiente dos riscos ambientais;
  • Possibilita definir a ordem de prioridade das ações que devem ser executadas para solucionar problemas;
  • Evita prejuízos financeiros e outros danos às empresas.

Quer saber mais sobre a matriz de risco e como implementá-la em seu negócio? Entre em contato conosco e conheça as nossas soluções para tornar o gerenciamento de riscos da sua empresa mais confiável. Solicite a sua proposta.